Certificado da Vacina da Febre Amarela

Certificado da Vacina da Febre Amarela

Certificado da vacina da febre amarela – O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é um documento que serve para comprovar as vacinas que uma pessoa tomou. A partir desse documento, os outros países podem avaliar se aquela pessoa está habilitada para entrar em seu território ou se ainda é preciso tomar alguma vacina.

Se alguém pretende viajar para outro país, é muito importante ter esse documento em mãos, especialmente se os destinos iniciais ou finais da viagem estiverem sofrendo com alguma epidemia. Em alguns casos, é a exigência pelo CIVP que impede alguns vírus de se espalharem pelo mundo.

Antigamente, só era possível obter o CIVP de modo presencial. Ou seja, o viajante precisaria agendar uma visita em alguma unidade credenciada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Contudo, isso foi alterado em 2019, o que facilitou a vida de muitas pessoas.

Atualmente, é possível emitir o CIVP pela internet, o que torna a experiência muito mais prática. Nos próximos parágrafos, você saberá como emitir o certificado da vacina da febre amarela e verá informações importantes sobre esse documento.

Como tirar o certificado da vacina da febre amarela?

Para obter o CIVP, basta se cadastrar no Portal de Serviço do Governo Federal, com seu e-mail e seu CPF. Durante o preenchimento do formulário, você terá que enviar seu RG e seu comprovante nacional de vacinação digitalizado.

A partir daí, a Anvisa fará a análise de seus documentos e aprovará o seu caso em até cinco dias úteis. Depois disso, basta fazer a impressão do cartão e apresentá-lo sempre que for preciso. O CIVP é válido por toda a vida.

Informações sobre o CIVP

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é um documento que serve para comprovar a vacinação. Esse documento é necessário, pois existem países que não permitem que ninguém entre sem apresentá-lo. O CIVP é emitido de forma gratuita pela Anvisa.

Se uma pessoa pretende viajar para o exterior, ela deve consultar o país de destino e saber se o CIVP é exigido ou não. Caso o voo tenha escala ou conexão em algum outro lugar, é preciso verificar se o Certificado também será exigido em todos os países da escala.

Para mais informações sobre as vacinas exigidas pelo Regulamento Sanitário Internacional, acesse a página da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Como emitir a segunda via do Certificado Internacional de Vacinação?

Para conseguir a segunda via do CIVP, é preciso marcar um novo agendamento nos postos da Anvisa. A partir dos dados que já estão registrados no cadastro, a Anvisa poderá emitir uma nova via desse documento.

Como conseguir a 2ª via do CIVP já estando no exterior?

Para emitir a 2ª via do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia já estando no exterior, o cidadão brasileiro deve seguir as instruções abaixo:

  • Primeiramente, é preciso procurar o consulado do Brasil e solicitar o CIVP informando seus dados pessoais (data de nascimento, nome, documento de identidade, CPF);
  • Por meio do correio eletrônico institucional, o consulado mandará a solicitação com as informações pedidas para o setor da Anvisa que é responsável pela emissão;
  • Após a conclusão das etapas anteriores, o cadastro do viajante no SISPAFRA será identificado pela equipe da Anvisa. Em seguida, a segunda via do CIVP será gerada e enviada ao consulado por e-mail;
  • A partir daí, o consulado emitirá o CIVP, irá carimbá-lo e preencherá a assinatura do documento. Depois disso, o Certificado será entregue ao usuário.

Como emitir o CIVP pela internet?

Para obter o CIVP pela internet, é necessário se cadastrar no Portal de Serviço do Governo Federal, com seu e-mail e seu CPF. Ao preencher o formulário da página, você terá que enviar seu RG e seu comprovante nacional de vacinação digitalizado.

A partir daí, a Anvisa fará a análise de seus documentos e aprovará o seu caso em até cinco dias úteis. Depois disso, você terá que imprimir o documento.

Vale lembrar que, nem todas as pessoas podem retirar o CIVP pela internet. Estrangeiros que não têm CPF no Brasil, cidadãos indígenas ou analfabetos e pessoas que estejam em locais cujo acesso à internet é muito difícil devem retirar o CIVP presencialmente. Nesse caso, é preciso se deslocar para alguma unidade credenciada da Anvisa.

Como atualizar o certificado da vacina da febre amarela?

O processo de atualização da carteira de vacinação internacional é semelhante ao processo para retirar a 2ª via desse documento. Para saber como fazer isso, veja as instruções abaixo:

  • Primeiramente, é necessário contatar o consulado do Brasil e solicitar o CIVP informando seus dados pessoais (data de nascimento, nome, documento de identidade, CPF);
  • Por meio do correio eletrônico institucional, o consulado enviará a solicitação com as informações pedidas para o setor da Anvisa que é responsável pela emissão;
  • Após concluir as etapas anteriores, a equipe da Anvisa identificará o cadastro do viajante no SISPAFRA. A partir daí, a segunda via do CIVP será gerada e enviada ao consulado por e-mail;
  • Por fim, o consulado emitirá o CIVP, carimbará o documento e preencherá a sua assinatura. Depois disso, o Certificado será entregue ao usuário.

Sintomas da febre amarela

A febre amarela apresenta sintomas como febre, problemas no fígado, pele amarelada, dores de cabeça e em todo o corpo. Quando a doença se torna muito grave, o paciente passa a ter insuficiência renal e hepática, problemas que o levam a óbito. Para os seres humanos, o único meio de contrair essa doença é recebendo a picada de um mosquito vetor.

Como a febre amarela evolui muito rápido, ela tende a piorar o quadro do paciente. Quando isso acontece, a vítima passa a ter problemas graves como dor abdominal intensa, icterícia (amarelão da pele), sangramentos ligados ao sistema digestivo (vômitos e fezes com sangue), falência renal, entre outras coisas.

Contudo, vale lembrar que, esses sintomas mais graves só se apresentam em aproximadamente 10% dos casos. No geral, a febre amarela é uma doença benigna e sua duração máxima é de 12 dias.

Validade da vacina da febre amarela

Em 2014, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a vacina contra a febre amarela é válida por toda a vida. Entretanto, existem estudos que afirmam a importância de tomar, ao menos, mais uma dose 10 anos após a primeira vacinação. Essa dose de reforço deve ser priorizada em casos de viagens para locais endêmicos.

Comments (No)

Leave a Reply