Febre Amarela

Febre Amarela

Febre Amarela

Fatos sobre a febre amarela

• A febre amarela é uma doença infecciosa causada pelo vírus da febre amarela.
• A febre amarela é uma doença à base de vetores transmitida para humanos pela picada de mosquitos infectados;
• Febre amarela é endêmica em áreas da África e da América do Sul;
• Os sintomas da febre amarela incluem febre, dores de cabeça e dores musculares, com alguns pacientes vindo a desenvolver complicações com risco de vida;
• Profissionais da saúde diagnosticam a febre amarela clinicamente, com a disponibilidade de testes laboratoriais confirmatórios;
• O tratamento para febre amarela é sintomático;
• É possível prevenir a febre amarela com vacinação e medidas de controle de mosquitos.

O Que É a Febre Amarela? Qual é a História da Febre Amarela?

A febre amarela é um infecção viral aguda transmitida à humanos através da picada de mosquitos infectados.

Apesar de muitos casos de febre amarela serem leves e autocontidos, ela pode, também ser uma doença com risco de vida, causando febre hemorrágica e hepatite (portanto o termo amarela da icterícia que ela pode causar).

Essa doença viral ocorre em áreas tropicais da África e da América do Sul e, a cada ano, ocorrem 200 mil casos estimados de febre amarela globais, levando a, aproximadamente, 30 mil mortes.

Um número crescente de casos de febre amarela nas última décadas levou a campanhas voltadas a uma maior conscientização pública e prevenção de doenças para essa doença infecciosa reemergente.


Diversos surtos significantes de febre amarela ocorreram pela história, com o primeiro surto documentado ocorrendo na península de Yucatán, durante o século XVII.

No fim do século XVIII, um surto severo de febre amarela acometeu a Nova Inglaterra e várias cidades portuárias norte-americanas.

A cidade de Filadélfia perdeu cerca de um décimo de sua população durante a epidemia de febre amarela de 1793, causando a debandada da cidade de muitas figuras políticas americanas notáveis.

O último grande surto de febre amarela na América do Norte ocorreu em Nova Orleãs em 1905.

No fim do século XIX, o Dr. Carlos Finlay, um médico cubano, foi o primeiro a propor a teoria de que um mosquito transmite a febre amarela.

Foi apenas em 1900, usando a pesquisa anterior do Dr. Finlay como fundamento, que o major do exército dos Estados Unidos Dr. Walter Reed e sua equipe provaram que mosquitos, de fato, transmitem a febre amarela.

A ideia inovadora foi fundamental em levar ao subsequente controle de febre amarela em várias regiões.

O vírus responsável pela febre amarela foi, posteriormente isolado no final da década de 1920 e esse avanço, em seguida, permitiu a Max Theiler desenvolver a primeira vacina contra febre amarela nos anos 30.

Essa vacina bem-sucedida permitiu controlar e eliminar a febre amarela de vários países na África e América do Sul, em meados do século XX.

Infelizmente, a febre amarela teve um surto que iniciou-se em 2017 e se espalhou por diversos estados do Brasil.

Além disso, alguns viajantes não-vacinados se infectaram e muitos morreram.

O CDC recomenda que viajantes (a partir de 9 meses) sejam vacinados contra a doença ao menos 10 dias antes de chegarem ao Brasil.

Aqueles que não foram vacinados e viajaram ao brasil devem evitar áreas onde a vacinação é recomendada (veja o mapa abaixo do CDC; muitas áreas do Brasil estão inclusas)

Essa imagem mostra múltiplos virions do vírus da febre amarela. Fonte: CDC

Vacinação da Febre Amarela

Você precisa se vacinar antes de viajar ao exterior?
Viajantes a outros países podem enfrentar problemas de saúde que eles não, geralmente, experimentariam em casa.

Para minimizar os riscos de você ficar seriamente doente quando viajar para o exterior, você deve descobrir, antes, quais são as imunizações específicas recomendadas para viajar para a região do mundo que você visitará.

É, também, uma boa hora para revisitar o seu histórico de vacinação.

O Que Causa a Febre Amarela?

Um vírus causa a febre amarela. O vírus da febre amarela é um vírus de fita única de RNA que pertence à família dos flavovírus.

Depois que a transmissão do vírus ocorre, ele se replica em linfonodos regionais e subsequentemente se espalha na corrente sanguínea.

A disseminação difusa pode afetar a medula óssea, baço, linfonodos, rins, fígado e mais outros órgãos.

O dano ao tecido hepático, por exemplo, pode causar icterícia e perturbar o processo de coagulação do sangue, levando a complicações hemorrágicas, notadas, algumas vezes, com a febre amarela.

Como As Pessoas Contraem Febre Amarela?

A picada de mosquitos infectados transmite a febre amarela para humanos. Várias espécies de mosquites Aedes e Haemagogus servem de vetores e são responsáveis pela transmissão para primatas humanos e não-humanos, que servem de reservatório para a doença. Existem 3 ciclos de transmissão da febre amarela.


• Ciclo silvícola (selva): Em florestas tropicais, macacos infectados passam o vírus para mosquitos que se alimentam deles. Esses mosquitos então picam humanos que entram na floresta para atividades ocupacionais (por exemplo, madeireiros) ou recreativas.
• Ciclo intermediário (savana): Em regiões úmidas ou semiúmidas da África, mosquitso que se procriam próximos a povoações e na selva (mosquitos semidomesticados) infetam, ao mesmo tempo, humanos e macacos. O vírus, então, pode ser transmitido de macacos para humanos ou de humanos para macacos pelos mosquitos. Este é o tipo mais comum de surto na África.
• Ciclo urbano: Quando humanos infectados introduzem o vírus em áreas urbanas com um grande número de indivíduos não-vacinados, mosquitos infectados (Aedes aegypti) transmitem a doença de humanos para humanos. Esta é a forma de transmissão que pode levar a grandes epidemias.

Essa imagem mostra uma fêmea de mosquito Aedes aegypti. Fonte: CDC

Quais Áreas Apresentam um alto Risco de se Contrair Febre Amarela?

A febre amarela é endêmica de regiões tropicais e subtropicais tanto na África quanto na América do Sul, no entanto, é estimado que 90% das infecções reportadas mundialmente ocorram na África.

A maioria das infecções no continente africano ocorre em indivíduos não vacinados que habitam na região subsaariana. Na Ásia, não existem casos de surtos de febre amarela.

No entanto, essa área permanece como um risco teórico por conta que os mosquitos responsáveis pela transmissão, assim como os primatas suscetíveis estão lá.
Países onde a febre amarela está presente. Fonte: CDC.

Angola Guiana
Argentina Quênia
Benin Libéria
Bolívia Mali
Brasil Mauritânia
Burkina Faso Níger
Burundi Nigéria
Camarões Panamá
República Centro-Africana Paraguai
Chade Peru
Congo Ruanda
Congo-Quinxassa São Tomé e Príncipe
Colômbia Senegal
Costa do Marfim Serra Leoa
Equador Somália
Guiné Equatorial Sudão
Etiópia Suriname
Guiana Francesa Tanzânia
Gâmbia Trindade e Tobago
Gabão Togo
Gana Uganda
Guiné Venezuela
Guiné-Bissau Zâmbia


Diversos fatores determinam o risco de um indivíduo adquirir a febre amarela durante uma viagem, incluindo a área da viagem, estação, estado da imunização, duração da exposição, atividades durante a viagem e a taxa local de transmissão de vírus.

Reveja as informações antes de qualquer viagem para áreas endêmicas. Abaixo está um mapa das áreas de risco de febre amarela na África (mapa do CDC, 2018).

Imagem dos países com risco de transmissão do vírus da febre amarela. Fonte: CDC

Qual é o Período de Incubação da Febre Amarela?

O período entre contrair a infecção e desenvolver os sintomas (período de incubação) é, geralmente, entre 3 e 6 dias.

A Febre Amarela é Contagiosa? Quanto Tempo é o Período Contagioso da Febre Amarela?

A picada de mosquitos infectados (por exemplo, Haemagogus leucocelaenus e/ou Aedes serratus) transmite a febre amarela para humanos.

O contato direto com outros indivíduos infectados não transmite a febre amarela.

Humanos com febre amarela são infecciosos e podem transmitir o vírus para mosquitos não-infectados logo antes do início da febre e de 3 a 5 dias depois do início dos sintomas.

Que Tipo de Especialistas Tratam a Febre Amarela?

Uma variedade de especialistas pode se envolver no cuidado a pacientes que desenvolvam sintomas de febre amarela.

Inicialmente, médicos de atenção primária, incluindo médicos da família, internistas, médicos da emergência e pediatras podem atender pacientes com febre amarela.

Especialistas em doenças infecciosas cuidam de pessoas diagnosticadas com febre amarela, também.

Pacientes com febre amarela podem se consultar com outros especialistas, dependendo da severidade de sua doença e da evolução das complicações 9por exemplo, um nefrologista em casos de falha renal).

Quais São Os Sintomas e Sinais da Febre Amarela?

Depois da infecção pelo vírus da febre amarela, muitos indivíduos não vão experimentar manifestações clínicas aparentes de doenças transmitidas por mosquitos (assintomáticos), enquanto outros poderão desenvolver doenças leves e autocontidas semelhantes a gripe, caracterizadas pelos seguintes sintomas e sinais:
• Febre;
• Tremores;
• Dor muscular generalizada;
• Dor nas costas;
• Dor de cabeça;
• Mal-estar;
• Fraqueza;
• Falta de apetite;
• Náusea;
• Vômito.
A maior parte dos pacientes com essa fase inicial aguda da doença melhoram, espontaneamente, após, aproximadamente 3 a 4 horas. No entanto, aproximadamente, 15% dos pacientes podem entrar na segunda fase da doença que, tipicamente aparece depois de uma curta remissão dos sintomas (cerca de 24 horas) da fase inicial da doença. Esse próxima fase tóxica da doença é mais severa, quando a febre alta retorna e mais sistemas são envolvidos. Além dos sintomas acima, os seguintes sintomas e sinais podem, também se desenvolver:
• Dor abdominal;
• Icterícia;
• Sangramento pelas gengivas, nariz, olhos e/ou estômago;
• Sangue nas fezes e sangue no vômito;
• Facilidade em formar hematomas na pele;
• Falha rena;
• Confusão;
• Convulsões;
• Coma.

Como Profissionais de Saúde Diagnosticam Febre Amarela?

Por conta que os sintomas durante a fase inicial da febre amarela não são específicos e são similares à gripe, o diagnóstico durante esse estágio pode ser difícil.

Portanto, profissionais de saúde fazem um diagnóstico clínico preliminar baseado nos sinais e sintomas do paciente, no histórico de viagem (onde e quando), nas atividades relacionadas à viagem e no histórico de vacinas.


Várias anormalidades testadas em sangue podem estar presentes em indivíduos com febre amarela, particularmente naqueles que desenvolvem a segunda fase tóxica da doença.

As anormalidades testáveis em sangue podem incluir baixa contagem de glóbulos brancos (leucopenia), baixa contagem de plaquetas (trombocitopenia), elevações em testes de função hepática, tempo de coagulação anormalmente prolongado e eletrólitos anormais em testes renais.

Nenhum desses testes é específico para febre amarela ou, sozinhos, permite que o prestador da saúde faça um diagnóstico.

Testes de urina podem demonstrar níveis elevados de proteína urinária e urobilinogênio.

Um eletrocardiograma (ECG) pode revelar distúrbios na condução ou ritmo do coração se já ocorreu envolvimento cardíaco.
O diagnóstico do laboratório para febre amarela requer um teste especializado. Exames de sangue podem demonstrar a presença de anticorpos específicos para o vírus (IgM e IgG) produzidos pelo sistema imunológico em resposta à infecção, no entanto, reações cruzadas com anticorpos de outros flavovírus podem ocorrer.

Portanto, testes específicos para anticorpos, assim como testes de redução de neutralização de placa, podem ser feitos para a confirmação do vírus da febre amarela em oposição a outros como o Zika vírus.

Qual é o Tratamento Para Febre Amarela?

Não existe tratamento específico para a febre amarela. O tratamento é focado em aliviar os sintomas da doença, incluindo a dor e a febre.

Como dito antes, a maior parte dos pacientes que desenvolvem os sintomas da febre amarela experimentarão um grau leve da doença que se resolverá sozinha.

Medidas sintomáticas implementadas dependem da severidade da doença e podem incluir:

• Administração de oxigênio;
• Administração intravenosa de fluído para desidratação;
• Medicação para aumentar a pressão sanguínea em casos de colapso circulatório;
• Transfusão de componentes sanguíneos em casos de sangramento severo;
• Antibióticos para infecções bacterianas secundárias;
• Diálise para falha renal; e
• Intubação endotraqueal (colocação de tubo respiratório) e ventilação mecânica em casos de falha respiratória.

Evite ácido acetilsalicílico (aspirina) e drogas anti-inflamatórias não esteróides (NSAIDs) por conta do risco aumentado de sangramento.


Nos primeiros dias da doença, indivíduos infectados devem, também, serem isolados em casa e/ou sob telas mosquiteiras para prevenir exposição futura a mosquitos, assim eliminando o potencial para futura transmissão da doença.

Quanto Dura a Febre Amarela?

Para indivíduos com febre amarela que desenvolveram a fase aguda leve da doença, os sintomas geralmente durarão por cerca de 3 a 4 dias, e a maior parte dos pacientes se recuperará totalmente.

Para aqueles indivíduos que desenvolvem a fase tóxica mais séria da doença e sobrevivem, o decurso da doença pode durar por cerca de várias semanas dependendo da severidade da doença e outras complicações associadas.

Qual é o Prognóstico Para Pessoas com Febre Amarela?

O prognóstico para indivíduos que desenvolveram casos sem complicações de febre amarela, geralmente, é excelente.

No entanto, para aqueles pacientes que desenvolveram a fase tóxica da febre amarela, as taxas de fatalidade são de 20% a 50%, dependendo das condições subjacentes do paciente e da disponibilidade de recursos de suporte.

Se a morte ocorre, é tipicamente de 10 a 14 dias depois do início da fase tóxica.

Crianças e aqueles com mais de 50 anos de idade tendem a ter doenças mais severas e maiores taxas de mortalidade.

Além disso, a susceptibilidade do hospedeiro e a virulência da cepa em particular podem, também, influenciar as taxas de mortalidade.

Aqueles indivíduos que sobrevivem à febre amarela, geralmente, não apresentam nenhum dano residual aos órgãos.

É Possível Prevenir a Febre Amarela?

A vacinação acaba por ser a forma mais eficiente de se prevenir a febre amarela. A vacina da febre amarela é uma vacina segura com apenas poucos casos se eventos adversos sérios reportados.

Desde o empreendimento da Inciativa da Febre Amarela de 2006, profissionais da saúde têm feito progresso visível em combater a doença na África Ocidental com mais de 105 milhões de pessoas recebendo a vacina em campanhas massivas.

A vacina da febre amarela é uma vacina de vírus vivo que provê uma imunidade de longo prazo depois de uma dose única.

Ela provê imunidade (fortalece o sistema imunológico) contra a febre amarela em 95% do indivíduos dentro de uma semana após sua administração. Em alguns casos, certos indivíduos devem receber uma dose de reforço.

A vacina é disponibilizada para adultos e crianças maiores de 9 meses de idade. Prestadores de cuidados da saúde recomendam a vacinação de viajantes que vão a áreas onde a febre amarela é endêmica (ao menos 10 dias antes de ir à área) e vacinar populações locais que estão em risco.

Vários países requerem que os viajantes demonstrem prova de vacinação da febre amarela para a entrada a fim de prevenir a importação e transmissão da febre amarela.

Verifique com um departamento de saúde local para informações acerca dos centros de vacinação designados à febre amarela.

Medidas eficazes de controle de mosquitos são, também, componentes importante para prevenir ou minimizar o risco de febre amarela.

Evite picadas de mosquito usando roupas protetores (mangas e calças longas) e permanecendo em acomodações devidamente limpas e com ar-condicionado.

Além disso, prestadores de cuidados da saúde aconselham indivíduos a aplicar repelentes de insetos registrados na EPA contendo DEET ou icaridina em pele exposta; repelentes IR3535 também podem ser usados.

Essas precauções podem também prevenir outras infecções relacionadas a mosquitos, como a Zika

Quais São Os Efeitos Colaterais da Vacina da Febre Amarela?

A vacina da febre amarela pode ter raros porém sérios efeitos colaterais. Profissionais da saúde administram a vacina da febre amarela em centros de vacinação indicados.

Prestadores de cuidados da saúde precisam considerar a saúde subjacente do indivíduo, o seu risco de exposição à febre amarela e as contraindicações da administração da vacina antes de recomendá-la.

Para minimizar o risco de eventos colaterais sérios, os CDCs fornecem as seguintes recomendações para vacinação:
Contraindicações (condições nas quais a vacina não deve ser dada).

• Alergia a componente da vacina;
• Idade menor que 6 meses;
• Infecção sintomática do HIV ou linfócitos-T CD4+ <200mm3 (<15% do total em crianças menores de 6 anos);
• Distúrbios do timo associados com função imune anormal;
• Imunodeficiências primárias;
• Neoplasias malignas;
• Transplantes
• Terapias imunossupressoras ou imunomoduladoras.

Precauções (condições onde os riscos da vacina e a doença devem ser considerados cuidadosamente)
• Idade entre 6 e 8 meses;
• Idade superior ou igual a 60 anos;
• Infecção assintomática por HIV e linfócitos-T CD4+ entre 200 e 499/mm3 (15% a 24% do total de crianças menores de 6 anos);
• Gravidez;
• Amamentação.
Indivíduos que experimentarem os efeitos colaterais da vacina da febre amarela geralmente apresentaram sintomas leves, incluindo febre baixa, dores musculares e dor de cabeça. No entanto, em casos raros, sérios eventos adversos da vacina da febre amarela podem ocorrer, incluindo reação anafilática com risco de vida, doença neurológica associada a vacina (uma condição que afeta o sistema nervoso) e doença viscerotrópica associada a vacina (uma condição que afeta os órgãos internos).

Onde As Pessoas Podem Ter Mais Informações Sobre a Febre Amarela?

Yellow Fever, Organização Mundial da Saúde (OMS).

Sempre em busca de informações sobre saúde e família.